quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Quarta Parte do Estudo de Gênesis 1


Antes não havia nada, somente Deus.  Ele nunca surgiu nem foi criado, o tempo sim.
O tempo implica em mudança; Deus nunca muda. Está escrito: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente.”. (Hebreus 13:8). Deus não está preso ao tempo. Ele não vê o futuro, mas está ao mesmo tempo no passado, no presente e no futuro, Aleluia!
O nome pelo qual Deus se revelou a Moisés (Ex. 3:14), revela a Sua característica. Suas ações no mundo são temporais, apesar de Ele não ser temporal.
Muitas religiões dizem que existe um criador. E vários deuses que são frutos da imaginação humana.  Mas em Gênesis 1:1 mostra que Deus criou o tempo (passado, presente e futuro [base três]); espaço (altura, largura e profundidade [base três]); e matéria (sólido líquido e gasoso).
A natureza é base três. Deus é triuno (três pessoas em uma). Muitas religiões são politeístas (existem vários deuses). O cristianismo é somente um Deus em três pessoas. O Deus da Bíblia se revela num sistema de cubo, ou seja, 13= 1.
A natureza foi criada com o potencial de eternidade, ou seja, durar para sempre. Deus disse a Adão que, no dia em que desobedecesse e comesse da árvore que Ele o ordenou não comer, certamente morreria. (Gênesis 2:16-17). As plantas foram criadas no terceiro dia e o sol no quarto dia. Em suma, as plantas foram criadas para ser dependente de Deus e não do Sol.
Deus é uma fonte inesgotável de energia. Pela Lei da termodinâmica: “sendo que o universo está derramando constantemente recebendo energia, então sua entropia (capacidade de desorganização)sempre tenderá para o mínimo (zero).”. 
 וְהָאָרֶץ) Veha’arets (Gênesis 1:2) significa terra (estado inicial) e não a um estado posterior ou final.
 (הָיְתָה) hayetah estava (não quer dizer que havia se tornado), mas era ou estava sem forma e vazia. Deus trouxe à existência do Estado sem forma e vazio.
A razão das trevas é que Deus não havia criado a Luz.  תְהוֹם (Tehom – abismo, profundeza). 
Tanto a Bíblia quanto a ciência relatam a existência de água nos primórdios do universo. E o Espírito Santo pairava suavemente (עַל-פְּנֵי) sobre as águas.
O primeiro dia aqui foi a existência da Luz(radiação eletromagnética), conforme versículo 3 do capítulo 1 de Gênesis: 
“E Deus disse: Haja luz e houve luz.” (Gênesis 1:3). Passaram-se tarde e manhã; este foi o primeiro dia. Aqui não resta dúvida: no verso 4 Deus separou as trevas da luz. Logo temos a seguinte sequência:
1- Trevas;
2- Criação da Luz;
3- Separação entre luz e trevas;
4- Fim do primeiro dia.
Logo, o primeiro dia começou no versículo 2.
Alguns estudiosos e, eu também já acreditei nisso, fala de uma batalha entre Miguel (Jesus) e Lúcifer e por isso a terra ficou sem forma e vazia. Essa teoria denomina-se Teoria do Hiato, criado por Thomas Chalmer (1780-1847 Teoria da Ruína e da Reconstrução). Essa teoria explica que Lúcifer já habitava na terra e se rebelou contra Deus, na qual enviou o primeiro dilúvio e o lançou no abismo. No entanto, foi o teólogo e reverendo William Buckland (1784-1856), quem popularizou esta ideia.
Nenhum comentário bíblico escrito antes do século XVIII fez menção a um possível hiato entre Gênesis 1:1 e Gênesis 1:2.
Vale salientar que a melhor explicação para os fósseis e camadas sedimentares encontrados na coluna geológica é o dilúvio de Gênesis e não um suposto dilúvio de Lúcifer.
Sei que muitos irão discordar e você tem essa liberdade, mas se Deus achou toda criação perfeita, creio que Lúcifer caiu depois dela. E por isso sentiu inveja e maquinou ser maior que Deus em seu coração.  Mas não estou aqui para impor minha posição em ninguém; mas mostrar que antes de tudo Deus já existia.
Jesus é o Início e o fim. O princípio e o fim de tudo chama-se YESHUA (JESUS).  Se obedecermos a Ele de todo o nosso coração, seremos salvos (plenitude).  
Deus vos abençoe!
Pr. Weliton Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário