quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Depressão Parte 2



A paz e a graça a todos os amigos que leêm este abençoado blog. Postarei a segunda parte do tema depressão.
Bem, segundo a OMS ( Organização Mundial da Saúde), a doença tem atingido 121 milhões de pessoas por ano ao redor do mundo e tem sido a causa de 850.000 mortes. Os sintomas são: mudança de humor, perda do interesse e  prazer pelas atividades, sentimento de culpa ou perda auto estima e, se não tratada devidamente, pode levar a uma incapacidade de gerenciar a própria vida. A depressão pode levar a casos extremos de suicídio.

A depressão pode ocorrer tanto em homens como em mulheres, de todas as idades e de qualquer classe social. No entanto, a incidência é muito maior entre as mulheres do que entre os homens (a proporção é de dois casos entre elas para cada caso entre eles). Entre os indivíduos que também apresentam maior risco de desenvolver a doença estão as pessoas com casos de depressão na família, usuários de drogas, medicamentos e álcool, e mulheres nos dezoito meses seguintes a um parto. As mulheres são mais sujeitas a depressão, a principal teoria é  a que relaciona esse efeito aos hormônios femininos.

No idoso, é comum que a depressão esteja associada à diminuição da autonomia, da capacidade funcional, ao isolamento, e à perda de familiares e amigos. Conforme a Associação Brasileira de Psiquiatria, cerca de 15% da população de idosos apresentam os sintomas clínicos da doença. O tratamento tradicional é feito à base de antidepressivos com acompanhamento psicológico. A complementação ao tratamento com atividades esportivas aeróbicas também é recomendável por alguns profissionais de saúde.

 De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, a depressão tem natureza recorrente, como uma enxaqueca. Porém, 70% dos depressivos respondem bem ao tratamento. Os outros 30% têm resposta parcial ou não apresentam qualquer sinal de melhora. De acordo com a OMS, pouco mais de 25% das pessoas afetadas pela doença no mundo recebem o tratamento adequado. No Brasil, esse índice só não é maior devido à falta de preparo de uma parcela de profissionais de saúde em reconhecer os sintomas da doença e encaminhar os pacientes para o tratamento adequado.

Fonte: http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/perguntas_respostas/depressao/sintomas-diagnostico-tratamento-doenca.shtml#5 .

Na próxima semana, abordarei  a depressão enquanto doença da alma e a verdadeira cura segundo a Palavra de Deus.

Que Deus abençoe a todos.
Pr. Weliton Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário