domingo, 4 de outubro de 2009

O LIVRO DE GÊNESIS

A palavra Gênesis em Hebraico se escreve assim: בְּרֵאשִׁית (Bereshit), significa princípio. O autor do Livro foi Moisés no ano de 1440 a.c; este escreveu os cinco primeiros livros da Bíblia, na qual chamamos de Pentateuco; são eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio. Prova que escreveu o livro de Gênesis: João 5:46, Jesus revelando que Moisés escreveu a respeito dele; Moisés, segundo o escritor e historiador Flávio Josefo, aprendeu toda a escrita, cultura e ciências do Egito, além de ter sido um grande general do exército egípcio e provável substituto do faraó.

Gênesis inicia com a formação do sistema solar, os preparativos da terra para sua habitação e a criação da vida sobre a terra. Tudo foi feito em seis dias. No versículo 1 do Capítulo 1 do livro de Gênesis, o termo hebraico Deus significa אֱלֹהִים (Elohim),uma palavra no plural, ou seja, o mundo foi criado pelo Deus Pai (El ou Javé), Pelo Deus Filho (Yeshua) e pelo Deus Espírito Santo (Thur Vurvch Elohim). A palavra Elohim usada para Deus significa também a grandiosidade, a majestade e a onipotência do Nosso Deus, aleluia. O termo בָּרָא (Bara) ou criar, no versículo 1 se refere a fazer existir o que não existe. As palavras הַשָּׁמַיִם, וְאֵת הָאָרֶץ (Hashamain vet Há-Arets) Céus são os três céus: atmosférico (onde se encontra os gases como hidrogênio, oxigênio, nitrogênio, ozônio, hélio, etc.), o céu cósmico (onde estão os planetas, as estrelas, as nebulosas, os cometas, o sol, a lua) e céu morada do nosso Deus; e a terra.

No versículo 2, quando diz que a terra estava sem forma e vazia (caos), significa que do versículo 1 para o versículo foram milhares de anos, pois Deus não iria criar algo e depois relatar que estava destruída (caos). O correto seria relatar a destruição e depois criar. Mas aí não seria criação e sim recriação; pois se estava destruída é porque algo foi criado. Os cientistas atuais, através do fósforo 14 podem comprovar a existência de espécies como dinossauros, mamutes entre outros animais; foi Deus quem criou tudo. Na verdade, Deus já tinha criado a terra, pois como está escrito no Livro de Isaías 45:18, diz que o Senhor não criou a terra para ser vazia, mas sim, para ser habitada.

A grande revelação de Cristo em Gn se encontra no estabelecimento do concerto de Deus com Abraão nos caps. 15 e 17. Deus fez promessas gloriosas a Abraão, e Jesus é o maior cumprimento destas promessas, uma verdade que é explicada de forma detalhada por Paulo em Gálatas. Boa parte da Bíblia está fundamentada sobre o concerto abraâmico e o seu desenvolvimento em Jesus Cristo. A dramática história da prontidão de Abraão em sacrificar Isaque segundo a ordem de Deus (Gênesis 22:2) apresenta uma incrível semelhança com o evento crucial no Novo Testamento; lembra-nos da prontidão em Deus sacrificar o seu único Filho pelos pecados deste mundo. Por fim, a benção de Jacó sobre Judá antecipa da vinda de “Silo”, a ser identificada como o Messias (Genesis 49:10).

“O Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (1.2). Desta forma achamos o Espírito envolvido na criação. O Espírito Santo também operou em José, um fato que foi óbvio para o Faraó: “Acharíamos um varão como este, em quem haja o Espírito de Deus?” (Gênesis:41.38). Embora o Espírito Santo não seja mencionado de outra forma em Gênesis, nós o vemos em ação ao atrair os animais dos quatro cantos da terra para dentro da arca de Noé. Nós também percebemos a sua operação através das vidas dos patriarcas: Ele protegeu os patriarcas e as suas famílias e os abençoou materialmente. Todo tipo de dificuldades e situações impossíveis cercaram a família escolhida, tentando frustrar, onde possível, o cumprimento das promessas de Deus a Abraão; porém o Espírito de Deus resolveu, de maneira sobrenatural cada um destes desafios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário